Dar Voz para Ter Voz

"O horizonte que a U.DREAM tenta sempre alcançar tem escrito Impacto nas nuvens – é aquilo que temos sempre na mira, a cada tarefa, projeto ou momento, que desenvolvemos para e com as pessoas. Entrei na UD há dois anos e meio e, desde então, houve algo que nunca mudou: a associação direta entre “ser-se padrinho” e “manter, tornando efetivo, o impacto” nas famílias. Ora, se não é a maior honra poder ser um dos membros escolhidos para desempenhar tal preciosa responsabilidade: Sou madrinha do João, um rapaz com autismo, da minha idade, que perceciona o mundo de uma forma diferente daquela a que sempre estivera habituada. Desde que o conheci, ele limpou a minha visão, retirou-me um filtro do olhar que me impossibilitava de aceder a todo um mundo para além do mundo aparente, que, para mim, existia apenas. Admito com um misto de embaraço e orgulho que o João, sem voz, já me fez crescer mais do que eu a ele: alterou completamente a noção preconceituosa e atrofiada do autismo que eu tinha. Para lhe retribuir este constante desenvolvimento muni-me do meu amor, carinho e presença – mas, acima de tudo, trabalhando, agora, lado a lado com ele, com a Mãe Helena (sim, sou sortuda) e com a restante Equipa de Sonho da UD para começar a mostrar ao mundo o que o João a nós nos mostra, quebrando dogmas inúteis e enveredando por uma verdadeira aprendizagem pela genuinidade." - Matilde Lourenço, madrinha

Partilhar